EM FOCO: Câmara Fria

As perdas pós- colheita de flores, no Brasil, são de no mínimo 30%. A redução dessas perdas depende de um rápido resfriamento, transporte refrigerado, armazenagem e manuseio adequados. A refrigeração retarda a ação dos agentes deteriorantes e reduz a níveis compatíveis a velocidade do processo de maturação.
Muitos empresários acabam jogando dinheiro fora na tentativa de improvisar, utilizando equipamentos inadequados. É muito importante na hora de encomendar uma câmara fria uma conversa franca com o fornecedor, projetos bem feitos e avaliações técnicas na montagem.
O bom funcionamento da câmara fria depende de vários procedimentos e cuidados diários, pois estará em funcionamento 24 horas por dia, 365 dias por ano. O local de sua instalação deve ser criteriosamente escolhido, para evitar desperdício de luz. A ventilação do local pesa muito, devendo-se evitar locais muito quentes e ensolarados.
Uma câmara fria econômica e eficaz exige uma atenção especial de seus usuários, tais como substituição periódica de borrachas, limpeza do condensador e calafetação de pontos vulneráveis a infiltração de água.
Nunca use a câmara fria para guardar outros produtos que não sejam flores.

 

Fonte: "Manual da Floricultura Modelo", Sindiflores.